Superávit da balança bate recorde anual em nove meses, com US$ 56,4 bilhões

Resultado acumulado em três trimestres já é recorde mesmo para 12 meses; estimativas da Secex apontam para saldo positivo de US$ 70,9 bilhões em 2021.

balança comercial brasileira alcançou superávit recorde de US$ 56,4 bilhões nos nove primeiros meses de 2021, com crescimento de 38,3%, pela média diária, em relação mesmo período do ano passado. Os dados divulgados nesta sexta-feira (1º/10) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia mostram que as exportações até setembro subiram 36,9%, atingindo US$ 213,9 bilhões, enquanto as importações somaram US$ 156,8 bilhões, em alta de 36,4%. A soma de exportações e importações resultou em uma corrente de comércio de US$ 370,01 bilhões, em crescimento de 36,7%.

“No acumulado de janeiro a setembro, o resultado já é bastante representativo do que vai ser 2021. O saldo comercial é recorde para períodos de janeiro a setembro e, mesmo se considerarmos períodos de 12 meses, ele é recorde”, destacou o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão, em entrevista coletiva. O recorde anual anterior foi de US$ 56 bilhões, em 2017.

Considerando apenas os meses de setembro, o Brasil também registrou recordes nas exportações e na corrente de comércio. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, as exportações cresceram 33,3% e somaram US$ 24,28 bilhões. As importações subiram 51,9% e totalizaram US$ 19,96 bilhões. Assim, a balança comercial fechou setembro com superávit de US$ 4,32 bilhões, recuando 15%, e a corrente de comércio subiu 41,1%, alcançando US$ 44,25 bilhões.

Veja os principais resultados da balança comercial

Preços e volumes

Herlon Brandão explicou que houve um pico das exportações em junho, quase US$ 1,4 bilhão na média diária, e agora há uma redução, mas com um valor relativamente estável, em torno de US$ 1,2 bilhão nos últimos três meses, também na média diária. “Temos um crescimento dos volumes exportados no ano, mas com a receita sendo muito influenciada pelo aumento dos preços até o segundo trimestre. Agora, já há uma desaceleração”, observou.

Ele salientou que houve uma redução, principalmente, do preço do minério de ferro, que chegou a um pico de US$ 160/tonelada, em agosto, e hoje está sendo exportado por US$ 120/tonelada. Ainda assim, o valor está muito acima do que se viu no ano passado. “Há uma desaceleração do efeito preço e um volume ainda crescente ao longo do ano”, ponderou.

Setores

A Indústria Extrativa vem se destacando nas exportações do acumulado do ano, com aumento de 76,6%, puxado por petróleo e minério. Já na Indústria de Transformação, a alta foi de 26,7%, enquanto as vendas de agropecuária subiram 21,2%.

Brandão salientou que os bens agropecuários apresentam volume decrescente de exportações (-8,7%), principalmente sob influência do milho, pois as vendas de soja se mantêm com volumes equilibrados. Já os preços na Agropecuária cresceram 23,7%.

Do lado das importações, as compras de bens de capital, que até junho estavam em queda, agora se recuperaram e passaram para o terreno positivo, com aumento de 3% no acumulado do ano. O destaque nesse setor foi das compras de máquinas e veículos de carga. No segmento de bens intermediários, as maiores compras foram de insumos eletroeletrônicos, adubos e fertilizantes. O subsecretário pontuou a importância dos bens importados para a produção interna.

Principais destinos e origens

Entre os destinos, as exportações para os Estados Unidos subiram 47% até setembro e já representam 10,4% das vendas brasileiras. A China, maior parceiro comercial do país – com 34,3% de participação –, teve alta de 32,6%. Já para a Argentina as exportações subiram 47,5%, e para a União Europeia houve aumento de 32%.

Nas importações, as compras de produtos da Argentina cresceram 44,7% nos nove primeiros meses, totalizando US$ 8,14 bilhões. Dos Estados Unidos, o aumento foi de 29,8%, com US$ 27,30 bilhões. A China vendeu 34,8% a mais para o Brasil, chegando a US$ 34,48 bilhões, e a União Europeia aumentou suas vendas para o País em 25,7%, somando US$ 27,92 bilhões.

Previsões

A Secex também apresentou a previsão atualizada dos resultados do comércio exterior brasileiro para 2021. O modelo de previsão está disponível no portal do Ministério da Economia ().

A estimativa é de que as exportações atinjam US$ 281 bilhões, um recorde histórico absoluto, mesmo com uma redução em relação às previsões apresentadas em julho, quando o valor era de US$ 307,5 bilhões. O crescimento estimado é de 34,3%. “Estamos projetando três meses pra frente, em linha com o que observamos até agora”, explicou o subsecretário.

Segundo ele, a exportação cresceu 36% no acumulado de 12 meses, então deve acontecer uma ligeira desaceleração nos próximos meses, convergindo para esse aumento em torno de 34%, considerando o desaquecimento dos preços dos produtos exportados.

Na importação, ocorre o contrário. Como os preços se aquecem, influenciam a despesa com importação, elevando a projeção para US$ 210 bilhões. Assim, o saldo estimado diminuiu para US$ 70,9 bilhões contra US$ 105,3 bilhões das previsões de julho, mas ainda batendo um recorde.

“Já batemos um recorde, mesmo se considerarmos anos fechados”, reforçou Brandão, citando os US$ 56,4 bilhões de saldo para nove meses. Então, esse recorde deve se acentuar para US$ 70,9 bilhões em 2021, o que está em linha com as previsões de Banco Central e de mercado.”

A soma das exportações e importações, segundo a Secex, também vai gerar um recorde da corrente de comércio, com US$ 491,1 bilhões. Esse valor representa um aumento de mais de 30% sobre o ano passado.

Fonte: https://www.gov.br/economia/pt-br/assuntos/noticias/2021/outubro/superavit-da-balanca-bate-recorde-anual-em-nove-meses-com-us-56-4-bilhoes

Notícias do setor, Postagens diárias e com tags , .

The original text of this page has been automatically translated into the English language through Google Translate and may contain agreement errors.

El texto original de esta página ha sido traducido automáticamente al idioma Inglés a través de Google Translate y puede contener errores acuerdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.